segunda-feira, dezembro 11, 2006

em flashs

Estado de dormência quase letal, é incrível como a cena está fragmentada, cada dia lembro de uma coisa diferente. Era muita informação, tudo que eu queria acontecendo ao mesmo tempo, mal ou muito me engano, mas estava muito feliz. Dadaísta como um quadro de Duchamp. Eu gosto, gosto e não falo, ou será que falo? Tenho meios que me possibilitem isso agora. Acho que estou em vanilla sky – o quadro, não o filme. Um vai e vem seqüencial e NÃO linear. Eterna expectativa de estagnação. Roda mundo, roda gigante, roda moinho, roda peão, o tempo rodou num instante, nas voltas do meu coração.


you know what they say about romance. it's a word.

Um comentário:

michelle disse...

sei bem do que está falando.
no words, then.


(l)
josephine que sinto saudades.