terça-feira, outubro 31, 2006

dos três mal amados palavras de joaquim

O amor comeu meu nome, minha identidade, meu retrato
O amor comeu minha certidão de idade, minha genealogia, meu endereço
O amor comeu meus cartões de visita, o amor veio e comeu todos os papéis onde eu escrevera meu nome
O amor comeu minhas roupas, meus lenços e minhas camisas,
O amor comeu metros e metros de gravatas
O amor comeu a medida de meus ternos, o número de meus sapatos, o tamanho de meus chapéus
O amor comeu minha altura, meu peso, a cor de meus olhos e de meus cabelos
O amor comeu minha paz e minha guerra, meu dia e minha noite, meu inverno e meu verão
Comeu meu silêncio, minha dor de cabeça, meu medo da morte.

2 comentários:

Clara disse...

Clap, Clap, Clap: E viva João Cabral de Melo Neto!
Pena que o amor o consumiu...
Terá Binky o mesmo fim?
Ah, não
é que ela tá ouvindo Cordel!
=]
amorinha!

(L)

Clara disse...

http://www.releituras.com/joaocabral_malamados.asp


de nada!